O 1º TURNO DO BRASILEIRÃO 2014

Mais uma vez, o excelente trabalho do Footstats nos revela impressões bastante significativas sobre o que todos os nossos clubes viveram nas primeiras 19 rodadas, após a primeira de duas pernas de todos contra todos.

O nosso Grêmio parece estar em um momento crescente. Contudo, o líder Cruzeiro e o novo vice líder São Paulo apresentam uma consistência impressionante. Creio que nosso campeonato seja o de – novamente – brigarmos “apenas” por uma vaga à Libertadores 2015.

Nesse miolo, temos como oponentes: 1) o nosso Tradicional Adversário (ou T.A. – este blog evita ao máximo pronunciar o seu nome); 2) o Fluminense (que, a exemplo da Raposa e do S.P.F.C., também é ofensiva e possui boa qualidade equivalente em várias posições de seu plantel); 3) o Corinthians, que possui muita consistência defensiva, um belo meio-de-campo, mas dificilmente consegue jogar por mais de uma bola por jogo no ataque.

Felipão parece estar muito bem assessorado e motivado: apesar de eu achá-lo defasado (nada a ver com a Copa do Mundo, que foi apenas a “cereja do bolo” em meio a uma série de vários trabalhos insuficientes que o rebaixaram da Europa para o Brasil) e de ter considerada injusta a demissão de Enderson Moreira (que – por sinal – começou muito bem no Santos), parece que a gestão Koff finalmente apresenta uma comissão técnica em sinergia com a cultura do clube e também com o modelo de futebol no qual a direção acredita.

Enfim… Matematicamente, tudo é possível. Contudo, apenas o “campeão” do turno (entre aspas porque tal título é meramente simbólico, pois é somente um indicativo de sucesso que precisa ser confirmado na longa segunda metade do certame) está garantido na Série A para a temporada 2015.

Não duvido da capacidade do Tricolor. Porém, sou muito mais realista, objetivo e pragmático, pois prefiro esperar o tempo rolar: por isso, HOJE, acho tão irreal quanto megalomaníaco pensar no título. Claro que irei torcer MUITO para que isso aconteça. No entanto, a pontuação, a quantidade de gols marcados, o saldo de gols e a grande quantidade de pontos perdidos (ainda que antes de Felipão, por uma série de circunstâncias que todos podemos recordar, jogo a jogo) infelizmente não nos dá esse alento.

Analisemos as tabelas abaixo:

panorama1

Tirar 21% de aproveitamento da Raposa é muito. Quem sabe se melhorarmos em 11% e os mineiros perderem 11%? Por outro lado, é absolutamente plausível podermos tirar 8,8% dos são-paulinos, 5,2% dos colorados, 3,5% dos corintianos e ultrapassarmos os pó-de-arroz pela diferença mínima.

Sendo um pouco mais realista, o Tricolor Paulista vem num momento crescente semelhante ao nosso e é difícil crer que piorem. Além disso, todos os clubes que estão à nossa frente possuem – conforme a avaliação da Bola de Prata Placar/ESPN – vários jogadores mais bem posicionados do que o nosso Tricolor dos Pampas.

Por hora, nosso saldo de gols é risível: somos o oitavo e último time do BR14 com saldo positivo. Ainda assim, é um reles +3, enquanto Cruzeiro (+23), Corinthians e Fluminense (+12), São Paulo (+11), T.A. (+9), Santos (+6) e Atlético-MG (+5) estão à nossa frente.

Por sinal, essa segunda tabela do Footstats – a do saldo de gols – revela exatamente todos os times cujos planteis possuem uma qualidade acima da (baixa) média do nosso futebol nacional: não exatamente nessa ordem, são aqueles que podem até oscilar, mas dificilmente darão mole para os times que estão na rabeira da tabela.

Uma prova disso é que o Flamengo, ainda que venha em uma crescente após amargar a zona do rebaixamento por mais de dois terços do turno, perdeu para todos os seis primeiros colocados, apresentando contra eles um saldo negativo de -16. E que o desgarramento do T.A. para o Cruzeiro resulte de algumas derrotas bisonhas para times da rabeira da tabela.

Somos o terceiro melhor mandante: nosso percentual de pontos obtidos na Arena (74,1%) equivale ao do Botafogo (75% – imediatamente à nossa frente) e é ótimo. O líder Cruzeiro é um ponto fora da curva, com seus monstruosos 92,6%, tendo perdido apenas dois pontinhos em um empate contra o – não por acaso – vice líder São Paulo.

O Grêmio precisa mesmo é melhorar o seu desempenho como visitante: embora até estejamos bem posicionados em oitavo lugar, nosso percentual pode melhorar bastante. Nossos atuais 36,7% podem muito bem chegar até uns 45%. Esse crescimento é bem mais difícil do que melhorarmos o aproveitamento como mandantes em 5%, pois precisaremos crescer como visitantes 8,3% com um índice de trabalho de praticamente o dobro disso para que possamos atingir essa meta.

É bom lembrarmo-nos de que há alguns times seguramente inferiores a nós superando-nos neste quesito: o Figueirense (com 53,3%, em terceiro) e o Flamengo em sétimo, com 37%. No caso de ambos, são franco-atiradores, pois não cairão nem irão à Libertadores do ano que vem. Essa falta de responsabilidade aliada à necessidade de não caírem para a Zona Perigosa (©Luxa 2014) lhes possibilita surpreender fora de casa, pois podem jogar “fechadinhos” explorando os contra-ataques. Inclusive o próprio Figueira provou no último domingo que toda a “faceirice” será castigada (LOL).

Saliento esta tabela: o Cruzeiro tem 60% de aproveitamento como visitante. Na sequência, o São Paulo tem 55,6% (mais uma vez, um indicativo importante do porquê ter finalizado a sua participação no turno em 2º); o Figueirense (53,3%); o Corinthians (51,9% – e tivemos o mérito de vencê-lo bem aqui em Porto Alegre); o T.A., com 48,1% (excelente para o padrão deles, que é bom mas muito menor do que seus irritados fãs imaginam que seja); a dupla Fla-Flu, ambos com 37%… E só aí viemos nós. Precisamos admitir que ainda é pouco.

Em gols marcados, somos apenas o 10º colocado, com apenas 17. O líder Cruzeiro marcou 41 em 19 jogos (média superior a dois/partida). Portanto, ao passo que não chegamos a marcar um gol por jogo (afinal, nossos 17 gols foram marcados em apenas 10 jogos, pois deixamos o placar em branco em quase metade dos confrontos, 9).

Desses 17, gols, quase metade foi assinalada pelo nosso centroavante Barcos (7) que, apesar de tantas críticas devido à perda de vários gols fáceis dentro da área adversária, é o 3º lugar entre os goleadores, perdendo apenas para os cruzeirenses Marcelo Moreno (que é nosso e está emprestado) com 10 e Ricardo Goulart (merecidamente convocado para a Seleção), com 9 gols.

Definitivamente, o que nos deixa bem posicionados e com uma boa margem de crescimento no segundo turno é a nossa estupenda defesa: apesar das justíssimas queixas sobre Pará e sobre Werley pelo lado direito; da inconstância de Geromel; da desconfiança sobre Saimon, após tanto tempo fora do futebol; e do medo que Bressan desperte em muitos torcedores, é preciso notarmos que não é apenas pela regularidade de Rhodolfo, pelo início brilhante do já negociado Wendell ou pelo retorno de Zé Roberto à sua posição original: agora, nós temos volantes que são muito mais do que meros “quebradores de bola”, como os meninos Matheus Biteco e Wallace, além da melhor contratação da temporada, Fellipe Bastos. O pequenino Dudu, apesar de concluir muito mal, é quem mais e melhor prente a bola no campo de ataque, mantendo-a longe da nossa zaga.

E de novo volto para elogiar e reconhecer o esforço do Pirata: além de conferir na frente (menos do que precisamos e gostaríamos, seja dita a verdade), ele é inteligente e muito lúcido na ajuda à defesa nos escanteios contra o Grêmio, pois é quem mais “espana” as cobranças para longe da nossa área.

De novo: o equilíbrio que precisamos atingir graças a um aproveitamento melhor fora de casa e a uma maior eficiência no ataque é a chave para o sucesso. Há clubes com um ataque melhor do que o nosso mas com uma zaga bem mais vazada, cuja classificação é risível e desalentadora. Para provar que nada é por acaso, apenas ter uma defesa fraca não é sinônimo de Z4, desde que o ataque seja bastante eficiente. Por outro lado, o topo da tabela reserva um lugar para quem marca muito e sofre poucos gols. Logo, cada vez mais a antiga assertiva de que “caso sofra três gols, desde que faça cinco, está tudo bem” mostra-se menos verdadeira.

Apenas seis clubes passaram mais jogos do que o Tricolor dos Pampas sem marcar gols no primeiro turno. Ao mesmo tempo, fomos quem teve mais partidas com a ficha limpa. Precisamos ao menos manter essa razão de pouco mais de 0,5 gol sofrido/jogo, mas temos que lutar muito para chegarmos o mais próximos possível dos 2 gols marcados/partida. Se chegarmos a 1,6 feitos e não passarmos de 0,7 tomados, dá pra crescermos horrores.

Após tantos comentários, creio que podemos finalizar o Brasileirão 2014 entre 2º e 4º lugar. Para isso, teremos que passar por uma peleia das brabas. ;)

OS NÚMEROS CONTAM A HISTÓRIA DO ESPETÁCULO

Trailer de Moneyball, filme no qual o protagonista (Brad Pitt) contraria a lógica do alto investimento em craques para montar um time campeão a partir de uma regularidade no plantel: tal medida neutraliza a idolatria, o vedetismo e evita o contraste entre um jogador extraclasse e um monte de ruins, elevando a média geral. Isso me cheira a um BOM GRÊMIO.

FUTEBOL É PAIXÃO: no Brasil, somos 200 milhões de técnicos. Cada um tem a sua própria concepção sobre como organizar melhor o seu time do coração rumo ao sucesso.

Instinto. Intuição. Sorte. Empatia. Implicância. Preconceito: a análise costuma ser restrita ao momento: a sensação de valor do desempenho; a peculiaridade do sentimento individual em relação a cada detalhe intra e extracampo… Enfim, todos esses componentes constroem a PERCEPÇÃO do fã diante de um determinado jogador, técnico ou dirigente ao longo do tempo.

Porém, quando o desempenho do seu time vai muito aquém do esperado, a BIPOLARIDADE domina corações e mentes: em meio a uma sucessão de pequenos fracassos, ao sinal do primeiro LAMPEJO, a “CORNETA” sistemática transforma-se em uma efêmera IDOLATRIA.

…A mesma partida é diferente na TV, via rádio, em meio a amigos, em casa, no bar, no estádio, no repeteco: o detalhe do detalhe; a influência da arbitragem; a galhofa ou a indignação do torcedor; a crença na (ou o repúdio à) opinião do comentarista midiático; a diferença entre a TENSÃO ao vivo e a tentativa de encontrar razões para a derrota ou, por outro lado, de tentar memorizar e ETERNIZAR a alegria de uma bela vitória mais tarde; o RELAXAMENTO de acompanhar um jogo entre times que não decidem a vida do alvo da su própria devoção.

Todos esses componentes afetam a todos: são motivos de dias de discussão no ambiente de trabalho; elevam ou rebaixam a AUTOESTIMA perante a família, perante os colegas, os subordinados, os chefes. Reforçam a PERTENÇA a uma CULTURA, a uma SOCIEDADE, ESTABELECEM LAÇOS e geram inúmeras METÁFORAS entre a BOLA e o COTIDIANO.

FUTEBOL É RAZÃO: como o ESPORTE representa um dos segmentos preferidos de ENTRETENIMENTO global, uma verdadeira INDÚSTRIA liberal procura encontrar o PONTO ÓTIMO de uma equação que é mais SUBJETIVA do que MATEMÁTICA…

A soma ou a média de uma porção de valências e de parâmetros geram gráficos, quantificam, qualificam e categorizam jogadores, jogadas, momentos e movimentos.

A utopia dos números no esporte de alto rendimento é a de RENDER CADA VEZ MAIS, garantir o máximo de REGULARIDADE, reduzir o cansaço, a fadiga e as lesões; aperfeiçoar o lado PSICOLÓGICO, reforçar a INTELIGÊNCIA EMOCIONAL e OTIMIZAR os recursos técnicos. Tudo isso a partir de uma OPERAÇÃO que envolve ESTRATÉGIA, TÁTICA e movimenta uma ECONOMIA repleta de ESPECIALISTAS.

A REDE SOCIAL envolve dirigentes, profissionais, fãs, Direito, Administração e a MÍDIA, que divulga, comenta, cria, recria, compartilha, entende, desentende, polemiza, pauta e é pautada por todos os entes envolvidos com essa lógica multibilionária.

O RESULTADO no futebol contraria a FÉ e o PENSAMENTO MÁGICO quando a FRIEZA dos números comprova o desempenho individual e coletivo a partir da soma e da média dos quesitos analisados.

Todavia, o resultado também pode vir a reforçar o sobrenatural sempre que aquele que mais VOLUME DE DADOS positivos esbarra nas conclusões inacreditavelmente perdidas; no zagueiro de fracas estatísticas em uma atuação extraclasse; no goleiro que contraria o que normalmente dele se espera em termos de falhas de posicionamento…

…E, num único contra-ataque bem encaixado com velocidade e precisão, ocorre um gol marcado por um jogador que surge livre, como EFEITO SURPRESA, e decide o cotejo.

Não se pode ignorar a surpresa, nem tomar os números com determinismo: o que importa é saber MEDIAR, a fim de reduzir a margem de erro entre a REGRA e a EXCEÇÃO. ;)

ERROS DE ARBITRAGEM APÓS 26 RODADAS

O jornalista MAURO BETING sempre faz esse levantamento em seu BLOG no LANCENET, após rever várias vezes os lances polêmicos de cada rodada.

Por ser paulista e palmeirense confesso, confio em sua honestidade e bom senso. Vejamos o último levantamento do comentarista:

SALDO TOTAL DEPOIS DE 26 RODADAS


PREJUDICADOS:


-6 pontos: GRÊMIO

-5 pontos: Figueirense
-4 pontos: SÃO PAULO
-3 pontos: Portuguesa, BOTAFOGO, TRADICIONAL ADVERSÁRIO
-2 pontos: Goiás, Atlético-MG
-1 ponto: Ipatinga

SALDO ZERADO:

Vasco e FLAMENGO


BENEFICIADOS:


+1 ponto: Náutico, CRUZEIRO, Coritiba, Sport e Atlético-PR

+2 pontos: PALMEIRAS e Vitória

+3 pontos: Fluminense

+4 pontos: Santos

, , , , , , , , , , , , , , , ,

Powered by ScribeFire.

[UCL 08/09] SORTEIO E CURIOSIDADES

Direto do GRIMALDI FORUM em MONTE CARLO (MON), a festa de gala da UEFA: o grande sorteio do futebol mundial depois da COPA DO MUNDO FIFA – a definição da fase de grupos da UEFA CHAMPIONS LEAGUE 2008/2009 (ver regulamento aqui).

Organização do sorteio e das láureas:

1) Os 32 clubes foram divididos em 4 potes com 8 clubes cada: o pote 1 com os 8 primeiros do ranking da UEFA dos últimos 5 anos; o 2 com os ranqueados de 9 a 16, o 3 com os clubes colocados nas posições de 17 a 24 e, finalmente, o pode D com os clubes com menos participações e colocações mais baixas nos torneios da UEFA na última meia década;

2) Clubes do mesmo país não podem ficar no mesmo grupo;

3) Clubes rivais devem ficar em grupos que joguem em dias diferentes. Como usual, os jogos dos grupos de A a D serão disputados na terça-feira e os grupos de E a H na quarta, invertendo a ordem a cada duas semanas. Por exemplo: como o CHELSEA FC ficou no grupo A, o ARSENAL FC só poderia ficar no grupo E, F, G ou H (acabou ficando no G). O mesmo vale para BARCELONA x REAL MADRID, LIVERPOOL x MANCHESTER UNITED, JUVENTUS x INTERNAZIONALE, ROMA x FIORENTINA, BAYERN MÜNCHEN x WERDER BREMEN, OLYMPIQUE LIONNAIS x OLYMPIQUE DE MARSEILLE, STEAUA x CLUJ e DYNAMO KYIV x SHAKHTAR. O objetivo é facilitar a vida do comércio, da mobilidade urbana e da segurança em cada localidade, além de evitar dividir a atenção do país para dois clubes no mesmo dia, visando destacar a participação de cada um;

4) O embaixador da cidade-sede da decisão da CHAMPIONS na quarta-feira dia 27/05/2009 às 20:45h (15:45h do BRASIL) no STADIO OLIMPICO de ROMA (ITA), o ex-atacante tricampeão mundial FIFA em 1982 e vice-campeão da COPA DOS CAMPEÕES DA UEFA, BRUNO CONTI, fará o sorteio do pote de grupos aos quais todos os 32 clubes serão divididos (de A a H). O melhor goleiro da temporada sorteará os clubes do pote 1, o melhor zagueiro os do 2, o melhor meio-campista os do 3 e, finalmente, o melhor atacante sorteará os clubes do pote 4;

5) Cada craque da última CHAMPIONS receberá o troféu de um ex-campeão de sua respectiva posição. Os entregadores de prêmios não participarão do sorteio.
____________________

MELHOR GOLEIRO UCL 2007/2008
PETER SCHMEICHEL (ex-MANCHESTER UNITED FC) -> PETR CECH (CHELSEA FC)

POTE 1:

A: CHELSEA FC (ENG)
B: INTERNAZIONALE (ITA)
F: OLYMPIQUE LIONNAIS (FRA)
G: ARSENAL FC (ENG)
H: REAL MADRID CF (ESP)
D: LIVERPOOL FC (ENG)
C: FC BARCELONA (ESP)
E: MANCHESTER UNITED FC (ENG)
____________________

MELHOR ZAGUEIRO UCL 2007/2008
FRANCO BARESI (ex-AC MILAN) -> JOHN TERRY (CHELSEA FC)

POTE 2:

C: SPORTING CLUBE DE PORTUGAL (POR)
D: PSV EINDHOVEN (NED)
E: VILLAREAL CF (ESP)
H: JUVENTUS (ITA)
A: AS ROMA (ITA)
G: FC PORTO (POR)
F: FC BAYERN MÜNCHEN (GER)
B: WERDER BREMEN (GER)
____________________

MELHOR MEIO-CAMPISTA UCL 2007/2008
SIR BOBBY CHARLTON – (ex-MANCHESTER UNITED FC)> FRANK LAMPARD (CHELSEA FC)

POTE 3:

A: FC GIRONDINS DE BORDEAUX (FRA)
G: FENERBAHÇE SK (TUR)
H: FC ZENIT ST. PETERSBURG (RUS)
C: FC BASEL (SUI)
B: PANATHINAIKOS (GRE)
E: CELTIC FC (SCO)
D: OLYMPIQUE DE MARSEILLE (FRA)
F: FC STEAUA BUCURESTI (ROU)
____________________

MELHOR ATACANTE UCL 2007/2008
EUSÉBIO (ex-SL BENFICA) -> CRISTIANO RONALDO (MANCHESTER UNITED FC)

POTE 4:

E: AALBORG SK (DEN)
F: ACF FIORENTINA (ITA)
A: CFR 1907 CLUJ (ROU)
G: FC DYNAMO KYIV (UKR)
B: ANORTHOSIS FAMAGUSTA FC (CYP)
D: CLUB ATLETICO DE MADRID (ESP)
H: FC BATE BORISOV (BLR)
C: FC SHAKHTAR DONETSK (UKR)
____________________

MELHOR JOGADOR DA TEMPORADA UCL 2007/2008
MICHEL PLATINI (presidente da UEFA) -> CRISTIANO RONALDO (MANCHESTER UNITED FC)
____________________

GRUPO A:

CHELSEA FC (ENG)
AS ROMA (ITA)
FC GIRONDINS DE BORDEAUX (FRA)
CFR 1907 CLUJ (ROU)

GRUPO B:

FC INTERNAZIONALE MILANO (ITA)
WERDER BREMEN (GER)
PANATHINAIKOS (GRE)
ANORTHOSIS FAMAGUSTA FC (CYP)

GRUPO C:

FC BARCELONA (ESP)
SPORTING CLUBE DE PORTUGAL (POR)
FC BASEL (SUI)
FC SHAKHTAR DONETSK (UKR)

GRUPO D:

LIVERPOOL FC (ENG)
PSV EINDHOVEN (NED)
OLYMPIQUE DE MARSEILLE (FRA)
CLUB ATLETICO DE MADRID (ESP)

GRUPO E:

MANCHESTER UNITED FC (ENG)
VILLAREAL CF (ESP)
CELTIC FC (SCO)
AALBORG SK (DEN)

GRUPO F:

OLYMPIQUE LIONNAIS (FRA)
FC BAYERN MÜNCHEN (GER)
FC STEAUA BUCUREȘTI (ROU)
ACF FIORENTINA (ITA)

GRUPO G:

ARSENAL FC (ENG)
FC PORTO (POR)
FENERBAHÇE SK (TUR)
FC DYNAMO KYIV (UKR)

GRUPO H:

REAL MADRID CF (ESP)
JUVENTUS FC (ITA)
FC ZENIT ST. PETERSBURG (RUS)
FC BATE BORISOV (BLR)
____________________

Países que colocaram pelo menos um representante nas últimas cinco edições como ÁUSTRIA, BÉLGICA, BULGÁRIA, CROÁCIA, REPÚBLICA TCHECA, ISRAEL, NORUEGA, POLÔNIA, SÉRVIA e ESLOVÁQUIA e países tradicionais na história do futebol europeu e mundial como HUNGRIA e SUÉCIA desta vez não contam com nenhum representante na competição.

Pela primeira vez na história, a ROMÊNIA compete com dois clubes na fase de grupos: o tradicional FC STEAUA BUCUREȘTI, campeão de 1985/1986 (que sucumbiu no grupo do BARCELONA na temporada 2007/2008 – desta vez, treinado pelo seu maior craque em todos os tempos, o ex-atacante MARIUS LĂCĂTUȘ) e o debutante CFR 1907 CLUJ. Aliás, o CLUJ não precisou sequer disputar as fases eliminatórias, pois a Romênia subiu no ranking de clubes da UEFA e obteve vaga direta para o seu campeão nacional.

Mais uma vez mostrando a sua força, a UCRÂNIA comparece com dois clubes – pra variar, o tradicional FC DYNAMO KYIV e o rico e simpático FC SHAKHTAR DONETSK. É bom lembrar que, de todos os países dos BÁLCÃS até as EX-REPÚBLICAS SOVIÉTICAS, desta vez, apenas os ucranianos conseguiram tal proeza. Contrariando as expectativas das últimas temporadas, GRÉCIA e RÚSSIA só puseram um clube cada. Porém, essa mesma região do Velho Mundo apresenta dois debutantes de países que jamais haviam chegado tão longe anteriormente: o ANORTHOSIS FAMAGUSTA FC de CHIPRE e o FC BATE BORISOV da BIELORRÚSSIA. A Europa saúda a volta do PANATHINAIKOS FC (GRE) e a estréia do atual campeão da UEFA CUP e base da seleção russa que encantou o mundo no último EURO 2008, o perigosíssimo FC ZENIT ST. PETERSBURG, do técnico holandês DICK ADVOCAAT.

Clubes tradicionais que não participam desta edição: AC MILAN (ITA), UDINESE (ITA), RANGERS FC (SCO), FC DYNAMO MOSKVA (RUS), FC SPARTAK MOSKVA (RUS), AEK (GRE), FC OLYMPIACOS PIRAEUS (GRE), ROSENBORG FC (NOR), FC BRONDBY (DEN), AS MONACO (FRA), SL BENFICA (POR), FC SCHALKE 04 (GER), FC BAYER LEVERKUSEN (GER), BV BORUSSIA DORTMUND (GER), HAMBURGER SV (GER), STÜRM GRAZ (AUT), AUSTRIA WIEN (AUT), GRASSHOPPERS (SUI), AFC AJAX (NED) e FEYENOORD (NED) – este último ficou de fora em plena temporada do seu centenário. Independe

ntemente de estarem passando por apuros técnicos e/ou financeiros, todos estes clubes possuem torcidas, títulos e histórias fascinantes e é uma pena que fiquem apenas assistindo à maior festa de clubes do planeta.

Títulos entre os 32 participantes da temporada 2008/2009:

9: REAL MADRID CF (ESP)
5: LIVERPOOL FC (ENG)
4: FC BAYERN MÜNCHEN (GER)
3: MANCHESTER UNITED FC (ENG)
2: FC BARCELONA (ESP)
2: FC PORTO (POR)
2: JUVENTUS FC (ITA)
2: FC INTERNAZIONALE MILANO (ITA)
1: OLYMPIQUE DE MARSEILLE (FRA)
1: PSV EINDHOVEN (NED)
1: FC STEAUA BUCUREȘTI (ROU)
1: FC CELTIC (SCO)

Campeões que ficaram de fora desta edição:

7: AC MILAN (ITA)
4: AFC AJAX (NED)
2: NOTTINGHAM FOREST FC (ENG)
2: SL BENFICA (POR)
1: BV BORUSSIA DORTMUND (GER)
1: FK CRVENA ZVEZDA (SRB)
1: HAMBURGER SV (GER)
1: ASTON VILLA FC (ENG)
1: FEYENOORD (NED)

Número de clubes campeões por país:

4: INGLATERRA
3: ITÁLIA
3: ALEMANHA
3: HOLANDA
2: ESPANHA
2: PORTUGAL
1: FRANÇA
1: ROMÊNIA
1: SÉRVIA
1: ESCÓCIA

Número de títulos por país:

11: INGLATERRA
11: ITÁLIA
11: ESPANHA
6: ALEMANHA
6: HOLANDA
4: PORTUGAL
1: FRANÇA
1: ROMÊNIA
1: SÉRVIA
1: ESCÓCIA

Vice-campeões presentes nesta edição:

5: JUVENTUS FC (ITA)
3: FC BAYERN MÜNCHEN (GER)
3: FC BARCELONA (ESP)
3: REAL MADRID CF (ESP)
2: LIVERPOOL FC (ENG)
2: FC INTERNAZIONALE MILANO (ITA)
1: CHELSEA FC (ENG)
1: ARSENAL FC (ENG)
1: OLYMPIQUE DE MARSEILLE (FRA)
1: FC STEAUA BUCUREȘTI (ROU)
1: AS ROMA (ITA)
1: CLUB ATLETICO DE MADRID (ESP)
1: PANATHINAIKOS FC (GRE)
1: CELTIC FC (SCO)
1: AC FIORENTINA (ITA)

Vice-campeões ausentes nesta edição:

5: SL BENFICA (POR)
4: AC MILAN (ITA)
2: VALENCIA CF (ESP)
2: AFC AJAX (NED)
2: STADE RENNAIS (FRA)
1: AS MONACO (FRA)
1: BAYER 04 LEVERKUSEN (GER)
1: SAMPDORIA UC (ITA)
1: HAMBURGER SV (GER)
1: MALMÖ FF (SWE)
1: CLUB BRUGGE KV (BEL)
1: VfL BORUSSIA MÖNCHENGLADBACH (GER)
1: AS SAINT-ETIENNE (FRA)
1: LEEDS UNITED AFC (ENG)
1: FK PARTIZAN (SRB)
1: EINTRACHT FRANKFURT (GER)

Número de clubes vice-campeões por país:

6: ITÁLIA
5: ALEMANHA
4: INGLATERRA
4: FRANÇA
4: ESPANHA
1: HOLANDA
1: PORTUGAL
1: SÉRVIA
1: ROMÊNIA
1: SUÉCIA
1: GRÉCIA
1: BÉLGICA
1: ESCÓCIA

Número de vice-campeonatos por país:

14: ITÁLIA
9: ESPANHA
7: ALEMANHA
5: INGLATERRA
5: FRANÇA
5: PORTUGAL
2: HOLANDA
1: SÉRVIA
1: ROMÊNIA
1: SUÉCIA
1: GRÉCIA
1: BÉLGICA
1: ESCÓCIA

Clubes campeões e vices nesta edição:

12: REAL MADRID CF (ESP) [9-3]
7: LIVERPOOL FC (ENG) [5-2]
7: FC BAYERN MÜNCHEN (GER) [4-3]
7: JUVENTUS FC (ITA) [2-5]
5: FC BARCELONA (ESP) [2-3]
4: FC INTERNAZIONALE MILANO (ITA) [2-2]
2: OLYMPIQUE DE MARSEILLE (FRA) [1-1]
2: FC STEAUA BUCUREȘTI (ROU) [1-1]
2: FC CELTIC (SCO) [1-1]

Clubes campeões e vices ausentes nesta edição:

11: AC MILAN (ITA) [7-4]
7: SL BENFICA (POR) [0-5]
6: AFC AJAX (NED) [4-2]

, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Powered by ScribeFire.

PREMIER LEAGUE: MANCHESTER E CHELSEA NA TEMPORADA PASSADA

Na temporada 2007/2008 da ENGLISH PREMIER LEAGUE, as campanhas do bicampeão MANCHESTER UNITED e do vice-campeão CHELSEA foram norteadas por um amplo domínio tanto dentro quanto fora de casa.

O MANCHESTER UNITED, incontestável campeão inglês na temporada 2007/2008, fez uma campanha magnífica em OLD TRAFFORD: de 19 jogos em casa, venceu 17, empatou apenas um (contra o fraco READING) por 0x0 e perdeu o clássico contra o MANCHESTER CITY por 1×2 – 91,22% de aproveitamento. Foram 47 gols pró e apenas sete contra (saldo positivo de 40 gols).

Fora de casa, foi igualmente forte: 10 vitórias, 5 empates e 4 derrotas – 61,4%. Foram 33 gols a favor e apenas 15 gols sofridos (saldo +18).

No geral, o título foi conquistado com 27 vitórias, 6 empates e 11 derrotas ou 87 pontos ganhos. 80 gols pró e 22 gols contra. 76,31% de aproveitamento e saldo +58.

O CHELSEA, vice-campeão, obteve 12 vitórias e sete empates – invicto, porém nada avassalador em STANFORD BRIDGE: 36 GP, 13 GC (+23 S) 75,43% de aproveitamento.

Fora de casa, também impressionou: 13 vitórias, três empates e três derrotas – ou 73,68%, onde assinalou 29 gols e sofreu 13 (+26 S).

No geral, o vice-campeonato foi obtido com uma pontuação capaz de dar o título aos Blues na maioria das ligas do planeta: 25 vitórias, 10 empates e três derrotas; 65 gols pró e 26 gols contra (+39 S) ou 85 pontos ganhos (74,56%).

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...